Sentir vontade constante de urinar, sentir dor e ter a urina escura podem ser sinais de alerta e indicar infecção urinária, como explicaram o ginecologista José Bento e o urologista Wagner Eduardo Matheus no Bem Estar desta segunda-feira (26). Esses sintomas são mais comuns nas mulheres, que têm a uretra menor, o que facilita a contaminação.

Segurar o xixi por muito tempo pode causar infecção já que, ao urinar, o corpo se livra de bactérias e outros organismos que podem ser prejudiciais à saúde. Além disso, beber muita água ajuda a deixar a cor da urina mais clara, livre de infecções. Para prevenir esses incômodos, a dica dos médicos é tomar suco de melancia, melão e cranberry, fruta rica em antioxidantes, com substâncias que tem poder de prevenção, não de tratamento.

Em crianças, as infecções são pouco comuns e, quando acontecem, geralmente são provocadas por uma má formação. Nesses casos, os sintomas são diferentes: os pequenos podem ficar irritados, perder o apetite, perder peso e também ter um cheiro forte na urina.

A infecção pode atingir qualquer região do sistema urinário, desde os rins até a vagina, caso mais comum. Quando afeta os rins, acontece a piolonefrite, menos comum, que pode causar dor na lombar, febre, vontade constante de urinar, pouco fluxo de urina e, em alguns caso, sangramento.

A pielonefrite pode ser decorrente de uma cistite não tratada, uma infecção na bexiga, geralmente provocada por bactérias, mas que também pode ser causada por vírus. Dos 20 aos 40 anos da mulher, é mais comum a cistite bacteriana. Já nos homens, ocorre a chamada prostatite depois dos 60 anos, que causa dor ao urinar, deixa o jato de urina mais fino e deixa sempre um pouco de xixi na bexiga – acúmulo que aumenta a proliferação de vírus e bactérias.

Incontinência

O problema acontece quando há um enfraquecimento dos músculos da região pélvica, que seguram os órgãos dessa região. Quando essa musculatura fica fraca, ela não consegue segurar o jato de urina, o que causa a incontinência. Geralmente, o problema acontece por causa de obesidade, intestino preso, grandes esforços da região, maus hábitos urinários, próprio envelhecimento ou, no caso das mulheres, o parto normal.

Segundo o ginecologista José Bento, esse enfraquecimento dos músculos pode ser resolvido com exercícios para fortalecê-los ou até mesmo cirurgia.

A perineoplastia é uma das cirurgias, indicada para mulheres que têm a musculatura fraca, mas não sofrem de incontinência. Nesse caso, o médico aproxima os músculos. Já quem tem incontinência, é indicada a técnica sling, que coloca uma “rede” embaixo da uretra para segurá-la e evitar, então, a perda urinária.

Fonte: G1

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta